Thursday, 2 February 2012

As Onze Cidades e Um Português

by flashopen

Fez ontem 15 anos que nunca se gastou tanto gás na Holanda. Bom, quase nunca! De acordo com a RTL Nieuws um total the 519 milhões metros cúbicos de gás correram nas canalizações holandesas e é muito bem possível que o record the 567 milhões seja alcançado ainda esta semana. Esse foi o número registrado no dia 2 de janeiro de 1997, dois dias antes da Corrida das Onze Cidades, que na Holanda é conhecida por "Elfstedentocht". Mas é sobre este evento que venho para aqui atirar com palavras, pois sobre a quantidade de gás que a Holanda gasta não nos aquece nem nos arrefece!

Elfstedentocht [Élfe Seteidan Tórrete]

Para quem não está familiarizado com esta tradição holandesa a Elfstedentocht é uma corrida anual em que se percorrem 200Km em patins sobre gelo-natural passando pelas onze cidades da província Frísia. Esta corrida é organizada pela Koninklijke Vereniging De Friesche Elf Steden (Associação Real As Onze Cidades Frísias) desde 1909. Desde então, apenas 15 corridas foram organizadas nesta região, pois, devido à falta de condições, onde a dureza do gelo desempenha um papel fundamental relativamente à segurança dos seus participantes, todas as outras foram canceladas. 
As onze cidades da Frísia

Espera aí, então não é anual! Não era anual. Nos últimos anos, e como alternativa à 
Elfstedentocht na Holanda, estas maratonas de 200Km têm sido patinadas em Weissensee na Áustria. Entre as razões que os levaram a isto, incluem-se a 'febre' frísia pela patinagem em gelo-natural que tem vindo a aumentar desde 1997! Sim, há 15 anos que este evento não tem conhecido a espessura de 15 cm de gelo duro obrigatórios para que a luz verde se acenda de vez nesta região. Mas este ano... será este ano? São muitos a fazer a mesma pergunta neste pequeno país e, em tudo que é órgão de comunicação social. Até chateia! 

Curiosas são todavia as imagens de 'meninos' embrulhados, ajoelhados, armados de berbequins a fazer buracos no gelo à procura de 15 cm de gelo rijo. Também, semelhanças a apontar são as das suas expressões de desapontamento com abanos de cabeça a dizer num murmúrio breve, 'nee'.




Um Português?!

A resposta é óbvia: claro! O meu sogro, holandês, amante do clima algarvio e do piano de Maria João Pires, fala-me de um português patinador que participou nesta maratona em 1997. Sou evidentemente capaz de imaginar portugueses em qualquer lugar neste mundo (não fossem eles quem são) mas depois de ter visto imagens e filmes deste acontecimento custou-me, de alguma forma, imaginar um português no meio daquela manada frísia de barbas congeladas e de patins. Sempre acreditei que teria de haver um lugar neste mundo (e ainda acredito) onde não haja um português. Este, portanto, não era o lugar. Não se lembrava do nome, dizia ele, mas que era português, ai lá isso era. A minha reacção não podia ser outra: Wikipedia!

Fausto Marreiros
Fausto Marreiros
De nome Fausto Armando de Oliveira Marreiros este é o nosso português. 
Wikipédia: Por motivos de uma queda no início da sua carreira Fausto não se encontrou suficientemente competitivo ao ponto de ter sido incluído na selecção holandesa. Assim decide participar sob a bandeira portuguesa em várias competições internacionais da modalidade e com excelentes prestações. Em 1992 e 1995 foi primeiro na maratona do Open da Holanda em gelo-natural no lago Plansee em Tirol, Áustria. Em 1997 foi décimo na Elfstedentocht e curiosamente, usando uma lâmpada de mineiro na cabeça.

Procurei contacto via Twitter com Fausto que me disse ter tido um prazer enorme nesta corrida apesar dos ventos fortes que se fazim sentir. A lâmpada, essa encontra-se agora no Museu de Patinagem em Hindeloopen!

Elfstedentocht 1963


No comments:

Post a Comment

Thank you for your comment.